FAÇA UM ACORDO COM VOCê e a sua HISTÓRIa: FAÇA Constelação FAMILIAR

Criada pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger, a Constelação Familiar é um método psicoterapêutico
que estuda os padrões de comportamento de grupos familiares através de suas gerações.

Bert se deparou com esse fenômeno nos anos 70 após observar os estudos de Virginia Satir,
psicoterapeuta americana, que analisava as esculturas familiares.

De acordo com Satir, quando uma pessoa “estranha” é convocada para representar uma família
ou uma pessoa de grupo familiar, mesmo que não a conheça, acaba reproduzindo sintomas físicos e comportamentos similares desse grupo ou pessoa sem necessariamente saber algo a respeito dela.

Na prática, a Constelação Familiar mostra que muitos de nossos problemas, doenças, incompreensões
e sentimentos ruins podem estar ligados a outros familiares que passaram por essas mesmas adversidades,
mesmo que não tenhamos conhecido os mesmos.

 

Esse método explica que há uma repetição de comportamentos de acordo com gerações,
mesmo que de uma maneira inconsciente. Hellinger propôs que há uma “consciência de clã” em todos nós que
é norteado por simples “ordens arcaicas” ou “ordens do amor”, que referem-se a três princípios norteadores:

1 – a necessidade de pertencer ao grupo ou clã

2 – a necessidade de equilíbrio entre o dar e o receber nos relacionamentos

3 – a necessidade de hierarquia dentro do grupo ou clã

Essas “ordens” atuam tanto em nossos relacionamentos familiares como os íntimos e amorosos e a conexão harmoniosa com essas ordens nos dão uma sensação de paz e nos faz sentir acolhidos e pertencentes a um grupo.

 

FAÇA UM ACORDO com você e a sua verdade: FAÇA Constelação no CONTEXTO jurídico

A expressão Direito Sistêmico surgiu da análise do direito sob uma ótica baseada nas ordens superiores
que regem as relações humanas, segundo a ciência das constelações sistêmicas desenvolvida
pelo terapeuta e filósofo alemão Bert Hellinger.

A prática do magistrado considera a existência das leis sistêmicas, tanto na conciliação, no julgamento
e no atendimento as partes quanto na sua própria postura diante de qualquer lide.

Realizando uma abordagem sistêmica, o magistrado passa a agir da forma mais adequada
quando o objetivo principal é conduzir as partes à um acordo efetivo, à verdadeira paz.

Isso porque, na prática, mesmo tendo as leis positivadas como referência,
as pessoas nem sempre se guiam por elas em suas relações.

Os conflitos entre grupos, pessoas ou internamente em cada indivíduo são provocados em geral
por causas mais profundas do que um mero desentendimento pontual,
e os autos de um processo judicial dificilmente refletem essa realidade complexa.

 Nesses casos, uma solução simplista imposta por uma lei ou por uma sentença judicial
pode até trazer algum alívio momentâneo, uma trégua na relação conflituosa,
mas às vezes não é capaz de solucionar verdadeiramente a questão, de trazer paz às pessoas.

A Constelação no Contexto Jurídico aplicada por Sheila Ortiz, Membro convidada

da primeira Comissão de Direito Sistêmico do Brasil,

se propõe a encontrar a verdadeira solução.

Se uma das partes não está bem, todos os que com ela se relacionam

poderão sofrer as consequências disso.

 

faça um acordo com você e o seu trabalho: FAÇA Constelação Organizacional

As leis sistêmicas também determinam e influenciam a saúde das empresas.

As constelações organizacionais são uma ferramenta poderosa para identificar dificuldades e redesenhar as relações dentro de sua empresa, bem como auxiliar nas decisões estratégicas.

Tem sido aplicada mundialmente, auxiliando consultorias de empresas no desenvolvimento
de equipes e visando minimizar impedimentos que podem levar a diminuição da performance, 
 criatividade e desequilíbrio no clima organizacional.

 

Temas que podem ser trabalhados:

• Definição de estratégias: testar a efetividade de novos projetos, criando cenários para lançamento de produtos, marcas e analisando a reação do mercado (clientes) quanto a aprovação ou não desse novo produto;

• Testes e análise na constituição de empresa e abertura de filiais;

• Analisar e desenhar cenários com a entrada de novos sócios, a relação dos sócios entre si. Os sócios no lugar certo fortalecem a empresa;

• Gestão de conflitos na empresa;

• Analisar e identificar a causa de turnover elevado, e problemas de motivação de equipe;

• Auxiliar no processo de seleção de funcionários;

• Processos de sucessão da diretoria;

• Sucessão de herdeiros.